Postagens

Mostrando postagens de Março, 2018
  EXPRESSÕES EVANGÉLICAS ETERNAS: “VÓS SOIS DEUSES!” “AMARÁS O TEU PRÓXIMO...” “...TAMBÉM FARÁS AS OBRAS QUE EU FAÇO...”     Avulta em importância aos aprendizes do Evangelho a origem, o momento e as razões de certas expressões usadas por Jesus, muitas das vezes citadas inconsideradamente, como simples repetição.         As pérolas anotadas acima são exatamente o caso.         O que vimos asseverando constantemente é que os Profetas da antiguidade não se cansaram de afirmar-nos coisas eternas a respeito de nós ou do nosso destino, mas, fizemos ouvidos moucos, não quisemos escutar. Mas, Jesus, em sua sabedoria e bondade, veio e repetiu amiúde tais ensinos, a fim de que calassem fundo em nossos corações esses mandamentos, que haviam literalmente “passado em branco” por nós.         Foi o próprio Cristo que disse que não veio revogar nem destruir a Lei (as leis antigas morais e de evolução espiritual ditadas pela revelação do alto aos profetas), mas, antes o

ESPIRITISMO: O CONSOLADOR - POSTULADOS e LEMAS -

ESPIRITISMO: O CONSOLADOR (POSTULADOS E LEMAS)   A marca mais forte do Espiritismo é a consolação. É Doutrina consoladora porque de uma vez por todas afastou   ‑   usando da razão e do bom-senso   ‑   todos os temores impostos pelas religiões mais notórias. (*1)   Toda a Doutrina Espírita se baseia em cinco postulados fundamentais (*2) derivados da lógica da observação:   (a)              a existência de Deus como inteligência suprema, causa primária de todas as coisas; (b)              a imortalidade da alma humana, que preexiste ao corpo e a ele sobrevive; (c)               a reencarnação ou pluralidade das existências, como meio de progresso para os Espíritos; (d)              a intervenção recíproca dos Espíritos e dos homens nos mundos em que respectivamente estão vivendo; (e)               a pluralidade dos mundos habitados .   _______________________________________________________________   São LEMAS da Doutrina Espírita: 1.

Um poema: Tristezas e Angústias

TRISTEZAS E ANGÚSTIAS Há amargor E amargores. O primeiro é transitório, Absorvível, Sublimável; Os segundos, Mais profundos, Mais passados, Mais sofridos, Mais pesados, Irreleváveis, Quase incontornáveis. Mas, ao invés Do abatimento Frente a ambos, É bom ter o consolo De que a Misericórdia Não vai colocar Em nossos ombros Peso maior Do que podemos suportar. Amargar, chorar, abater, Vivenciar o fel e o sal, Só vai avolumar E valorizar O próprio Mal. --Então, o que se faz? --Força para ter-se Perene Paz! F.A. Gabilan, 08/10/1986