Postagens

Imagem
Nosso próximo encontro está marcado em Bertioga, estado de São Paulo. Muito estudo e reflexão sobre as realidades espirituais.

INTUIÇÃO E INSPIRAÇÃO - um poema

INTUIÇÃO e INSPIRAÇÃO
Ah, a Intuição: Um repositório vivo, Um arquivo completo De romagens infindáveis Que se perdem no túnel do tempo; Experiências vividas, Lembranças vivazes; Vícios e defeitos acumulados, Virtudes reunidas E para sempre entesouradas.
Ah, a Inspiração: Assopros sagazes De Bem e de Mal, Ora formulados como aragem branda De pensamentos elevados, Ora bafados com sagacidade Em ardilosa fraude.
Intuição: clara, indiscutível, patente, evidente ‑ axiomática. Inspiração: insinuante sugestão, insuflação, influxo assuntivo – temática.


F. A. GABILAN



10/03/03 13:47:28

A ALMA DORME NA PEDRA, SONHA...

A ALMA DORME NA PEDRA, SONHA...

Francisco Aranda Gabilan Eu já tinha dúvidas e me chamava a atenção o fato, mas o culto amigo e diligente companheiro de Doutrina (ora na presidência da FEESP), escritor de primeira, Durval Ciamponi levantou a lebre, por duas vezes, no mínimo e que eu saiba: “...a citação geralmente atribuída a ele (Denis) de que ‘a alma dorme na pedra, sonha no vegetal, agita-se no animal e acorda no homem’. Não conseguimos localizar onde Léon Denis escreveu essa frase, para uma análise mais profunda.” (cap. 8, pg. 74, do seu livro “A Evolução do Princípio Inteligente”); e outra vez, lançando de novo a dúvida de que “em lugar nenhum de sua obra Allan Kardec afirmou que o princípio inteligente estagia no mineral, nem o próprio Léon Denis, conquanto se diga que é dele a frase de que a alma dorme na pedra, sonha no vegetal, agita-se no animal e acorda no homem” (pg. 7 do Jornal Espírita de Agosto de 1999, seu artigo sob o título “O Espírito tem fim?”).
Aqui não vai me intere…

ESQUECIMENTO DO PASSADO - artigo para Revista Espiritismo&Ciência

POR QUE, AO REENCARNARMOS, NÃO TEMOS A LEMBRANÇA DE VIDAS ANTERIORES?

O esquecimento do passado, aparentemente, implicaria em um obstáculo ao aproveitamento da experiência das existências precedentes, anteriores.
Mas, tal não se dá e há uma razão lógica para que tal se dê: em primeiro, é de se afirmar que na natureza não há lugar para providências inúteis, sendo que todo efeito corresponde a uma causa e esta deve ser útil; no caso, a lembrança do passado importaria em inconvenientes graves para a criatura, que, ou, em alguns casos, poderia provocar-lhe humilhações, ou então exaltar o orgulho, dificultando, em ambos os casos o exercício do livre arbítrio, além de trazer perturbações sérias às relações sociais.
Simplificando, como o fez Kardec, tenha-se presente que amiudemente o Espírito renasce no mesmo meio em que já viveu, encontrando-se relacionado com as mesmas pessoas, de sorte a, eventualmente, reparar algum mal que lhes tenha feito. Se, por acaso, nelas reconhecesse aquelas com qu…

AUTA DE SOUZA – Um ligeiro escorço

AUTA DE SOUZA – Um ligeiro escorço
PRECEDENTES HISTÓRICOS
Desde o século II depois da crucifixão de Jesus, a humanidade do Planeta Terra estava estacionária, prevalecendo toda a sorte de interesses da minoria religiosa dominante, mantendo-se a ferro e fogo a ignorância: verdadeiro período longo de trevas, recrudescendo após o ano 1000 pela ação do Santo Ofício, vigorando a Inquisição até mais ou menos 1808, com a ação de Napoleão invadindo a Espanha e a seguir Portugal .
Desde o final do séc. XVIII (mais ou menos a partir de 1790), os prepostos do Alto decidiram que reencarnariam no Planeta emissários de todos os ramos do conhecimento humano, a fim de imprimir um surto de desenvolvimento mais rápido e eficaz. Foi assim que reencarnaram grandes vultos das ciências e das artes: na Biologia, na Química, na Física, na Matemática, na Medicina, na Farmacopéia, na Astronomia, na Arquitetura, na Engenharia, na Pintura, na Escultura, na Literatura...
Ocorria o amadurecimento espiritual da humanid…

Tesouros do Planeta: Conservar e Manter - Consciência Individual

A Consciência individualde Conservação E Manutenção dos tesouros do Planeta
Francisco Aranda Gabilan fagabilan@uol.com.br www.infoespirito.com.br
A Lei Natural--que é irrevogável, imutável, eterna e perfeita--outorga a todos os seres vivos, em qualquer grau de Inteligência que possuam, o instinto de conservação, de sorte que em alguns é puramente maquinal, instintiva, e em outros é racionalizado, decidido pela vontade. E isto porque todos têm o direito e o dever de concorrer para o cumprimento dos objetivos da evolução providencial. Para evoluir é necessário viver, pois o aperfeiçoamento dos seres é lei obrigatória, não havendo um sequer que a ela não se subordine, de sorte que tudo se encadeia na Natureza “desde o átomo até o arcanjo, que também começou por ser átomo” (cf. questão 540 do Livro dos Espíritos, Kardec). Admirável, pois, essa Lei da Harmonia que vigora na criação em favor da evolução geral, constante e indefinita! Mas, apesar dessa evolução obrigatória, natural, ela ocorrerá se…