UM SER, SIMPLESMENTE - um poema


UM SER, SIMPLESMENTE


Um aperto, uma angústia:
Falta de serenidade nos atos, nos desejos
Incontidos,
Desabridos.
Retrato fiel do interior,
Da mente emitindo dardos fluídicos,
Que ferem, que magoam, que destroem.
Antena viva
Que atrai raios fulminantes de ódio,
Mas que captam também
Manifestações de Amor.

Sou um ser.
Simplesmente, uma alma imortal.


F. A. GABILAN


10/03/03 13:46:48

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÃE ENCARCERADA

ELEMENTAIS: o que seriam?